Documentário Zuza Homem de Jazz mostra “obsessão” de jornalista pela música

19/06/2019 | 15:24

Por Emrson Lopes *

A trajetória do jornalista, musicólogo e produtor musical Zuza Homem de Mello se confunde com a música popular brasileira. Sua participação ativa no programa O Fino da Bossa, entre 1965 e 1967, e como engenheiro de som nos festivais da TV Record, são marcos em sua longínqua carreira, além da curadoria de grandes festivais de música, entre eles o Free Jazz e o Tim Festival.

Mas a história de Zuza começou muito antes, no fim da década de 1950, época em que foi estudar na School of Jazz, em Massachussets e depois na Juilliard School, em Nova York. Foi lá que o jovem estudante de baixo teve a oportunidade de ver shows das maiores estrelas do jazz, entre eles, Billie Holiday, Coleman Hawkins, John Coltrane, Dizzy Gillespie, Duke Ellington e Thelonious Monk. Foi neste momento que a relação de Zuza com o jazz nasceu. Hoje, aos 85 anos, ele continua sua missão de “ensinar” seus seguidores em suas palestras pelo país a aprender a ouvir música e a sempre tirar o que há de melhor na obra de cada músico.

Zuza durante entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura

O documentário Zuza Homem de Jazz, lançado em novembro de 2018 e dirigido por Janaina Dalri, conta um pouco de sua trajetória por meio de depoimentos de pessoas que conviveram com o jornalista no Brasil e no exterior e, é claro, com deliciosos papos com o próprio Zuza. A diretora Janaina acompanhou o jornalista na cidade de Nova York e registrou encontros de Zuza com diversas personalidades do seu universo, entre eles o arranjador e pianista Bob Dorough, o cantor e pianista Steve Ross, o trompetista Wynton Marsalis, a arranjadora Maria Schneider e os jornalistas Gary Giddins e  James Gavin.

No Brasil, os depoimentos ficaram a cargo do jornalista Roberto Muylaert, da produtora Monique Gardenberg e dos músicos André Mehmari, Zé Nogueira, Egberto Gismonti, Letieres Leite, Nelson Ayres e Mario Adnet. Segundo o próprio Zuza, o objetivo do documentário não era apenas falar sobre sua vida. O principal ponto foi mostrar como a música brasileira influenciou o jazz e vice-versa, em especial na época da bossa nova, durante a década de 1960.

Zuza passeia por Nova York em cena do documentário Zuza Homem de Jazz

Atualmente, o documentário pode ser visto na programação do canal Curta, disponível nas principais empresas de TV por assinatura. Clique aqui para ver uma reportagem sobre o documentário exibida no Jornal da Band, em novembro de 2018. No decorrer de sua carreira, Zuza publicou vários livros, entre eles Copacabana – A Trajetória do Samba-Canção (1929-1958), A Era dos Festivais, Música com Z, Eis Aqui os Bossa Nova, Música nas Veias e João Gilberto.

Entrevista no programa Roda Viva (2019)

 

*Emerson Lopes    é jornalista, autor do livro     Jazz ao seu alcance, da editora Multifoco, e apresentador do podcast     Jazzy.     Saiba mais sobre o livro     aqui. Ouça o podcast    aqui

COMPARTILHE